top of page

Pensão alimentícia: entenda porque o acordo de boca não é uma boa ideia

Atualizado: 13 de dez. de 2023


acordo


Em meio à complexidade das questões familiares, é comum que casais busquem atalhos para evitar a burocracia ao resolver detalhes sensíveis, como a pensão alimentícia, por meio de acordos informais. Contudo, é crucial compreender que essa abordagem, embora possa parecer uma solução rápida, carece de validade jurídica e segurança.


Vamos explorar mais a fundo por que optar por acordos informais é uma escolha arriscada, especialmente no contexto da legislação brasileira, e como isso pode impactar a vida de todas as partes envolvidas.


A Falsa Segurança do "Acordo de Boca" na pensão alimentícia


No intrincado cenário jurídico brasileiro, o Código Civil é a bússola que orienta todas as decisões relacionadas à pensão alimentícia. Mesmo que as partes concordem privativamente com os termos, é a imposição judicial que confere obrigatoriedade ao acordo. Portanto, acordos informais, seja uma conversa de WhatsApp ou um acordo de boca, não detêm validade jurídica e carecem de garantias de cumprimento.


Recomendação Fundamental: Evite acordos informais, especialmente quando se trata de questões tão sensíveis quanto a pensão alimentícia. Embora o diálogo seja essencial, é imperativo formalizar qualquer entendimento de maneira apropriada, seguindo os requisitos legais.


Os Riscos envolvidos nos acordos de boca


Ao escolher o caminho dos acordos informais, as partes envolvidas podem estar inadvertidamente se colocando em uma posição vulnerável. Vamos explorar alguns dos riscos mais significativos associados a essa abordagem aparentemente simplificada.


1. Falta de Regulamentação Formal:


- Problema: Acordos de boca carecem de documentação legal, deixando as partes sem uma base regulatória sólida caso seja necessário cobrar a pensão alimentícia na justiça.


- Risco: A ausência de um documento formalizado dificulta a busca por recursos legais em caso de descumprimento.


2. Possíveis Desentendimentos Futuros:


- Problema: Acordos verbais são suscetíveis a interpretações diferentes.


- Risco: O que foi acordado inicialmente pode ser contestado no futuro, resultando em desentendimentos e potenciais conflitos.


3. Desigualdade de Poder:


- Problema: Em situações de desigualdade de poder entre as partes, um acordo informal pode ser prejudicial à parte mais vulnerável.


- Risco: A parte beneficiária pode ficar em desvantagem, sem meios eficazes de garantir o cumprimento do acordo.


4. Falta de Proteção à Criança:


- Problema: Acordos informais podem negligenciar a proteção dos direitos da criança.


- Risco: O não pagamento da pensão alimentícia pode gerar constrangimento e até causar traumas na criança.


A Importância da Formalização do acordo de pensão alimentícia


É fundamental compreender que formalizar um acordo não é uma medida destinada apenas a casais que enfrentam conflitos. Mesmo em relações onde predomina o respeito mútuo, a formalização é uma salvaguarda essencial. Aproveitar uma boa relação para acertar as condições e, em seguida, formalizá-las na justiça, garante uma base legal sólida para todos os envolvidos.


As Vantagens Inegáveis do Acordo Judicial


Optar por um acordo judicial não é apenas uma medida de precaução; é uma garantia de justiça e proteção para todas as partes envolvidas, especialmente para a criança.


Consideremos algumas das vantagens inegáveis associadas a essa abordagem:


1. Garantias de Cumprimento:


- Acordos judiciais oferecem uma base sólida para garantir o cumprimento da pensão alimentícia.


2. Proteção aos Direitos da Criança:


- Decisões judiciais visam proteger os direitos da criança, promovendo um ambiente estável.


3. Facilidades Práticas:


- Descontos automáticos na folha de pagamento proporcionam praticidade e regularidade nos pagamentos.


4. Adequação à Realidade Financeira:


- Em casos de emprego informal, o advogado pode realizar uma análise aprofundada da renda, proporcionando uma visão clara da capacidade de pagamento.


5. Resolução Imparcial de Conflitos:


- O ambiente judicial oferece uma plataforma imparcial para resolver disputas, evitando possíveis desequilíbrios de poder.


Conclusão


Em síntese, a formalização de acordos de boca, seja por meio de uma sentença judicial e assistência jurídica, oferece segurança e garantias que acordos informais não proporcionam. Proteger os direitos de todos os envolvidos é a base para construir relações familiares sólidas e justas.


Optar por um caminho legal desde o início não apenas evita potenciais desafios futuros, mas também estabelece um precedente de respeito às leis que regem as relações familiares. Ao fazê-lo, cada parte pode embarcar em um caminho mais seguro, assegurando que os interesses de todos sejam respeitados e protegidos.


Como faço para buscar ajuda especializada para lutar pelos meus direitos?


Para buscar ajuda especializada para ingressar na Justiça e lutar por seu direito, você pode contar com o escritório Maísa Lemos Advocacia e Consultoria, pois somos especializados em Direito de Família. Clique aqui e fale com nossa equipe.


No mais, nosso escritório tem um imenso prazer em ajudar as pessoas com a divulgação de informações relacionadas a direito de família.

E por isso temos em nosso site e redes sociais (@maisalemoss) informações quase diárias.


Contudo, para analisar com detalhes o caso das pessoas que nos procuram, um advogado precisa reservar um tempo na agenda, parar, ouvir, entender e, em seguida, dar a orientação necessária para o caso específico. É um trabalho que envolve responsabilidade e dedicação. Compreende?


E na verdade, muita gente não sabe exatamente como funciona o nosso fluxo de trabalho, por isso fazemos sempre questão de mostrar como é.


E se você acha que está em um momento para conversar, entre em contato conosco e agende um horário. É só clicar aqui 


Nós atendemos em todo o Brasil, pois o processo judicial é inteiramente eletrônico.


Nosso E-book


Baixe o e-book “Guia completo para se preparar para um divórcio”. Com certeza vai te ajudar bastante.


Agora, vou ficando por aqui.


Até a próxima.



foto da advogada Maisa Lemos

Meu nome é Maisa Lemos, atuo como advogada de família e sucessões em Goiânia desde 2002 e tenho clientes em todo o Brasil. Presto assessoria jurídica em ações de inventário, arrolamento, divórcio, guarda, pensão alimentícia, sobrepartilha e filiação socioafetiva. Meu foco é sempre a prevenção de litígios e o bem estar dos envolvidos, sobretudo quando há filhos menores de idade.

Sou também mãe do Davi, da Helena e da Clara.

Me siga no instagram: @maisalemoss. Lá eu posto conteúdo quase diariamente sobre direito de família e sucessões.







LEMBRE-SE: este post tem a finalidade apenas de informar. Em nenhuma hipótese substitui a consulta com um profissional do Direito. Converse conosco e verifique as orientações necessárias para o seu caso específico.

75 visualizações0 comentário

Comments


Logo Maísa Lemos
bottom of page